Como Marta e Maria, já vimos Jesus trabalhar nas nossas vidas. Quando precisamos de ajuda extraordinária, Jesus está lá. Mas, nesta história do evangelho, Jesus não parecia estar para as suas amigas. Ele podia ter curado Lázaro se chegasse a tempo. Ele estava atrasado. Já te sentiste assim? Que Deus está atrasado a responder à tua oração? Ou até que está a ignorar a tua oração? Todos odiamos esperar - nas longas filas no supermercado, no trânsito, para que as nossas esposas estejam prontas a tempo. Mas a verdade é que, às vezes, Deus faz-nos esperar. Não havia esperança para Lázaro. Quando Jesus chegou lá, ele estava morto há 4 dias. Mas as palavras de Jesus mudaram tudo…

Como?  Deus tem sempre um propósito para as nossas orações que demoram a ser atendidas ou que não recebem resposta.

Que fazer Reza e confia em Deus quando estiveres à espera que uma oração seja respondida. O que fazer enquanto esperas? "Mas sei que, mesmo agora, tudo o que pedires a Deus, Deus To concederá."  (João 11,20-22)

Os discípulos de Jesus perguntaram-lhe por que um homem nasceu cego: por causa do seu pecado ou por causa dos pecados dos seus pais? Era uma crença comum que as deficiências congénitas eram o resultado do pecado. Jesus curou o homem para que a glória de Deus pudesse ser vista (9, 3). Com isso, Ele prova que as dificuldades e o sofrimento podem fazer parte do plano de Deus para revelar o seu poder.

Há sofrimento que parece injusto - crianças inocentes que morrem com cancro e o assassino que vive uma vida longa. Jesus sabe disso melhor do que ninguém - Ele próprio também foi tratado com muita injustiça. O mal e a injustiça no mundo são as evidências da nossa necessidade da misericórdia e da graça de Deus. E através da sua misericórdia e graça, o seu poder é revelado ao mundo.

Para muitas pessoas, a injustiça nas pessoas inocentes leva à rejeição de Deus. Dizemos: "como pode um Deus bom permitir isso?". Mas, não são as nossas histórias! Esta pergunta não é sobre nós, é sobre os outros! Como sabemos o que pensam essas pessoas inocentes? Talvez elas digam que o sofrimento delas tem um grande propósito. Podemos dar uma resposta diferente à injustiça - mostra a misericórdia e a graça de Deus.

Como?  O mal e a injustiça são evidências da nossa necessidade da misericórdia e da graça de Deus. Um dia, Deus trará justiça ao mundo.

Que fazer?  Usa a misericórdia e a graça com os outros. Não permitas que o sofrimento de outra pessoa seja um obstáculo à tua fé.

É-nos dito continuamente que Deus está sempre connosco. Ensinamos isso aos nossos filhos, ouvimos isso nas catequeses e missas. Mas será que acreditamos realmente nisso? Talvez nem sempre sintamos a presença de Deus. Os israelitas também não… e reclamaram a Moisés. Eles, simplesmente, nunca acreditaram que Deus estava com eles e que cuidaria deles. Em vez de depositarem a sua esperança em Deus, eles reclamaram. Como é que reages quando não sentes a presença de Deus? Por não sentires sempre, isso significa que Ele não está contigo? Romanos 5 diz para nos alegrarmos com os nossos sofrimentos e problemas, porque isso cria resistência que leva ao caráter que nos dá esperança. E a esperança em Cristo nunca irá dececionar.

Como? Deus está sempre connosco, mesmo quando Ele não faz sentido. É a nossa perceção da presença d'Ele que vai e vem; não é Ele que vai e vem.

Que fazer? Perseverar na fé.

A ideia original de Deus era um mundo bom, sem sofrimento ou injustiça. Quando o pecado entrou, também entrou o sofrimento. Isso não fazia parte do plano original de Deus. Deus não causa o sofrimento, mas permite e pode usá-lo para o nosso crescimento. A transfiguração ocorreu logo após Pedro confessar que Jesus era o Messias e de Jesus dizer que iria sofrer e morrer. A estreita ligação entre a transfiguração e a confissão de Pedro é significativa - o Messias deve sofrer, mas a glorificação, não o sofrimento, é o destino final. Foi uma garantia para os discípulos verem Jesus “mudado” e “glorificado”, ao contemplarem o que estava prestes a acontecer a Jesus e a eles (um futuro de sofrimento por Cristo). Também nós devemos suportar algum sofrimento por Cristo, como diz Paulo na segunda leitura.

Sabias?  O sofrimento faz parte da vida e Deus pode usá-lo para o nosso crescimento.

Que fazer?  Decide que, quando estiveres a passar por um período de sofrimento ou injustiça (desemprego, doença, rebeldia na adolescência), Deus pode estar a usar isso para aumentar a tua fé. Em vez de rezar para que o espinho seja removido, reza para que Deus o use.

Deus não queria que conhecêssemos o mal e o sofrimento. Ele queria proteger-nos disso e queria viver connosco, para sempre, no paraíso. Por causa do pecado original, o mal foi introduzido juntamente com o sofrimento, vergonha e culpa. A nossa oportunidade para a vida eterna no paraíso terminou e o nosso relacionamento com Deus foi interrompido. Deus nem sempre faz sentido porque perdemos de vista o facto de que a vida envolve sofrimento. Mas Deus provou várias vezes que Ele é de confiança.

Sabias?  Deus não queria que conhecêssemos o mal.

Que fazer?  Quando Deus não faz sentido, escolhe confiar nos seus caminhos.

Load more

Play this podcast on Podbean App